terça-feira, 24 de agosto de 2010

Índices Econômicos não dizem tudo

Todos os dias, quando eu saio na rua, me incomoda a lenda de que o Brasil é um país desenvolvido. Podemos sim ter a oitava maior economia do planeta, caminhando para ser a quinta, segundo prognósticos de especialistas. Podemos ter um crescimento chinês, de mais de 7%, neste ano. O nível de desemprego pode ser considerado satisfatório. Não podemos, entretanto, dizer que somos desenvolvidos. Chega a ser uma blasfêmia.
Tratei desse assunto anteriormente. Não seremos desenvolvidos enquanto for possível encontrar cinco seres humanos dormindo na rua, cobrindo-se com um pedaço de papelão velho, em um trajeto de apenas três quarteirões (número contabilizado por mim, hoje de manhã). Não enquanto pessoas revirarem lixo buscando alimentos que outras descartaram. Não enquanto nossos estudantes ficarem em 48º lugar em leitura, 53º em matemática e 52º em ciências, entre 57 países, avaliados pelo PISA, o programa que avalia a educação em escala mundial. Não seremos uma grande nação enquanto nosso coeficiente Gini, que mede a desigualdade nos países, for 0,54, em uma escala de 0 a 1, sendo 1 a desigualdade completa.
Usar apenas a economia para medir o crescimento esconde nossas mazelas. O desenvolvimento econômico é bem vindo, por viabilizar o desenvolvimento social, mas, sozinho, não significa nada, não vale de nada.
Crescendo de forma desigual, como sempre crescemos, as únicas notícias que produziremos serão desse tipo. Não servem pra nada. Precisamos de mais do que isso.

2 comentários:

Stephan disse...

Duvido que mude alguma coisa. Algumas pessoas da classe D vão passar pra C, umas da classe C pra B, umas da B pra A, e boa parcela da A pra A+.

Não vai mudar porque ninguém quer que mude, querer no sentido de querer de verdade, ninguém está disposto a isso, cada um só quer garantir o seu.

Riqueza do país não está ligado a desenvolvimento humano, mesmo. Os EUA são de longe a maior economia do mundo, mas nos índices de desenvolvimento humano ficam devendo muito ao vizinho de cima.

E a Índia, ah, a Índia. Uma das maiores economias do mundo, e aquele mar de indigência pra todos os lados! Quem viu de perto sabe do que eu tô falando. Sabe MUITO bem.

A Índia da novela Caminhos da Índia não existe. A do Quem Quer Ser um Milionário sim, tá lá pra quem quiser ver.

Luiza Montenegro Duarte disse...

É verdade, querido. Os países com maior IDH geralmente não estão entre as maiores economias do planeta. Prefiro estar nesse grupo do que entre os dez mais ricos, o que acaba sendo consequência do tamanho do nosso país.