quinta-feira, 29 de abril de 2010

O começo. A aposta.


Aqui estou. Não sei a razão, confesso. O que eu sei é que quase todo dia acontece algo que me dá vontade de comentar. Normalmente, algo que me causa indignação, porque, francamente, o que está acontecendo com as pessoas?
Como eu já disse na descrição do "meu mundo", na barra lateral, poucas pessoas ao meu redor me despertam a vontade de debater, pois não tem argumentos racionais, mas sim opiniões baseadas em preconceitos, radicalismo ou hipocrisia, coisas que abomino. E que são intransponíveis.
Assim, resolvi criar este espaço, mesmo sem saber quanto tempo ele vai durar, se vou encontrar alento no desabafo ou se terei motivação para mantê-lo. Por via das dúvidas, resolvi apostar.

5 comentários:

Yúdice Andrade disse...

Luiza, minha querida, a minha postagem de apresentação poderia ser exatamente igual à tua. Os teus sentimentos, a tua inquietação e a tua necessidade de falar, mesmo que ninguém escute, foi o que me trouxe à blogosfera. Com a mesma sensação de que talvez não durasse. E se passaram 3 anos e 8 meses!
Graças ao blog, conheci gente do maior valor, alguns dos quais se tornaram amigos. Conheci gente como tu. Só por isso, já teria valido muito a pena. Por isso, vai em frente, porque há grandes compensações. E pode ser muito divertido.
Só te digo uma coisa: não te subestimes. Ao contrário do que dizes, tu não és nada insignificante. E essa está longe de ser uma opinião só minha.
Por isso, dona deste mundo, fala. Estarei aqui para escutar.

Anônimo disse...

Muito bem, chuchuzinha.

Luiza Duarte disse...

Querido Professor, espero ter a mesma surpresa que o senhor, que, inclusive, foi uma inspiração, como deve imaginar! O seu Arbítrio é uma leitura diária obrigatória para mim.


Obrigada, Stephinho. Como já tinha te dito, em se tratando de um mundo estranho, ainda vou falar muito de ti por aqui! haha.

Ana Miranda disse...

Eu me abstenho de iniciar um debate sobre as coisas que tenho visto e ouvido. Não tenho paciência para isso, então contento-me em ficar palpitando o que as outras pessoas escrevem, mesmo porque não sou uma pessoa muito normal, então não falaria de forma muito racional, e no espaço dos outros eu me sinto obrigada, por respeito, a falar civilizadamente.
No meu espaço só falo de mim, dos meus filhos e dos amigos, assim só falo coisas boas. Eh...eh...eh...

Luiza Duarte disse...

Ana, já estive no seu blog. Sem dúvida, são coisas boas. Entendo a opção por não debater. Às vezes, desestimula mesmo! Bem, enquanto não muda de idéia, seus "palpites" serão muitíssimo bem vindos por aqui!